Sobre a pesquisa


Sobre a Pesquisa


Por Flavia Meireles, Giselle Ruiz e Mariana Patrício

O projeto de pesquisa Reestruturando Histórias da Dança, apoiado pelo Fundo de Apoio à Dança 2011, da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, visa reunir pesquisadores interessados em construir possibilidades metodológicas para historiografar e discutir temas em Dança, especialmente Dança Contemporânea, buscando ir além de uma história linear ou de arquivo, em consonância com perspectivas historiográficas que vem sendo utilizadas não só nos meios acadêmicos como também por grupos de  pesquisadores autônomos de várias partes do mundo.

A pesquisa tem coordenação de Flavia Meireles, artista da Dança, professora de História da Dança, mestranda do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da EBA/UFRJ, e como pesquisadoras a Professora Doutora em Artes Cênicas Giselle Ruiz (UNIRIO, 2010), a Professora Doutora em Artes e Literatura, Mariana Patrício (PUC/RJ,2012) e Sofia César, graduada em Dança pela Faculdade Angel Vianna.

Num primeiro momento, este núcleo de pesquisadoras se dedicou, através de leituras, discussões e entrevistas, a criar critérios para orientar a pesquisa e o curso a ser ministrado no Centro Coreográfico do Rio de Janeiro durante o mês de dezembro/2012.  Nesse sentido, foi importante problematizar algumas noções de História, formulando concepções e critérios capazes de aproximar e diferenciar criadores, pensando e baseando a pesquisa nas singularidades das experiências dos mesmos.

Em História Cultural, o trabalho da micro-história, resultante dos debates intelectuais e historiográficos das décadas de 1970 e 80, deu voz a personagens que, de outro modo, ficariam no esquecimento. Nessa nova concepção, cada aparente detalhe, insignificante para um olhar apressado ou na busca exclusiva dos grandes contornos, adquire valor e significado na rede de relações plurais de seus múltiplos elementos constitutivos. Hipóteses da microanálise podem se tornar uma possibilidade efetiva, em que a opção pelo individual não se contrapõe ao social, apenas faz ressaltar outros pontos de vista, muitas vezes se constituindo como o condutor da história. Aspectos da margem migram para o centro. Alia-se à perspectiva histórica uma proposta de reflexão crítica. A multiplicidade de tempos e espaços passa a ser percebida através de uma inversão de perspectiva, em que o olhar do pesquisador valoriza aspectos que poderiam ser desprezados numa abordagem tradicional.

A partir da idéia de construção de genealogias, em oposição a noções de cunho modernista tais como origem, pureza e autenticidade, optou-se por buscar recortes temáticos, ou seja, uma rede de relações que encontra em um tema o seu eixo norteador. Esses temas surgem de questionamentos éticos e estéticos presentes no momento da pesquisa. Logo, é impossível falar em neutralidade da mesma.

Articulando, então, as esferas estética, social e política, não se trata aqui de procurar explicações para obras e artistas e sim de estabelecer relações nas quais a esfera artística dialoga com as esferas política e social, criando conexões de reflexão com elas.

Qual é a perspectiva do grupo para abordar tais temas? Acolhendo a impossibilidade de responder integralmente a essa pergunta, propõe-se relacionar de forma crítica a historiografia européia, anglosaxônica e latinoamericana, contrapondo e aproximando autores e visões, formulando novas análises, divulgando bibliografia e temas relacionados além de convidar outros pesquisadores a colaborar. Com essas ações buscamos contribuir para o desenvolvimento e maior alcance da pesquisa em dança, fazendo deste espaço uma plataforma para discussão em rede.

O site Temas de Dança reúne procedimentos e conteúdos desenvolvidos pela pesquisa Reestruturando Histórias da Dança, e está dividido em seis espaços que agrupam, de forma temática, os assuntos abordados. Cada espaço contém uma revisão bibliográfica/multimídia dos assuntos. São eles:

1     CRITÉRIOS: este espaço esclarece os lugares por onde a pesquisa passa, registrando os critérios de seleção do material a ser pesquisado e os questionamentos que essa seleção acarreta. Assim, pensamos a pesquisa como um processo de reflexão aberto e provisório.

2     CORPO DO PENSAMENTO/PENSAMENTO DO CORPO: espaço destinado a artigos e resenhas que articulam as noções de corpo e pensamento, segundo perspectivas específicas;

3     HISTORIOGRAFIA DA DANÇA: relaciona de que modo determinados autores trataram da dança, suas correspondências, influências e embates;

4     ESTRATÉGIAS DE CRIAÇÃO: armazenamento e discussão por meio de exemplos e/ou estudos de caso de algumas estratégias de criação de artistas (em nosso recorte, a partir dos anos 60), formando uma constelação aberta de possibilidades de criação.

5     ARTISTA EM TRÂNSITO: mapeamento das trajetórias, deslocamentos, diásporas, escolas e instituições por que passaram alguns artistas. Entrevistas em aúdio e vídeo.

6      COLABORAÇÕES: espaço destinado a colaborações de pesquisadores com trabalhos afins, divulgação de artigos, teses e dissertações que ampliem e coloquem em relação o material do próprio site.

Leituras realizadas durante o mês de julho/2012:

BURT, Ramsay. Empathy and Similarity: Rainer and Spinosa. conferência apresentada no evento “Dança e Filosofia”, Espaço Sesc, Rio de Janeiro, 2004.

CERBINO, Beatriz. Considerações sobre uma questão sensível. In: PEREIRA E SOTER (orgs). Lições de Dança 5. Rio de Janeiro: UniverCidade Ed., 2002.

DELEUZE, Gilles. Filosofia Prática. São Paulo: Escuta, 2002.

FOSTER, Susan. Choreographig emphaty: Kinestesia in Performance. Nova York: Routledge, 2011.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade.

Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

—————–  Da diáspora. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2003.

PHELAN, PEGGY. Unmarked: Politics of Performance. Nova York: Routledge, 1996.

RUIZ, Giselle. Pesquisa em dança no século XXI: algumas questões metodológicas. Memória ABRACE X. Rio de Janeiro, 2006.

Entrevistas:

01/08/20012 – Entrevista com Patrícia Hoffbauer, bailarina e coreógrafa carioca residente em Nova York, integrante da atual companhia de dança de Yvonne Rainer. Professora de Dança no Hunter College e na Princeton University, ambos em Nova York.

CATEGORIA

Critérios

DATA